sábado, 25 de janeiro de 2014

CYPRUS - A ILHA DE AFRODITE


Chipre obteve a sua independência do domínio colonial Britânico em 1960. A capital é atualmente Nicósia, o centro urbano está no momento dividido por uma força da ONU devido ao diferendo com a Turquia que ocupou toda a parte Norte da ilha desde Julho de 1974, ocupando 36,2% do seu território soberano. Ainda que a sua parte esteja sob ocupação estrangeira, a República de Chipre é intencionalmente reconhecida como o único Estado legítimo na ilha, sendo soberana sobre todo o território.

Chipre apesar das suas reduzidas dimensões, possui uma rica herança cultural que se reflete nos seus numerosos monumentos, castelos e fortificações dispersas por toda a ilha, lindíssimas baías com magníficas praias à mistura. Os locais mais relevantes desta ilha são o assentamento Neolítico de Choirokoitia, e a antiga cidade-estado Pafos declarada pela Unesco, Património Cultural da Humanidade.




Ficou previamente estabelecido que pelas manhãs seriam sempre realizadas todas as visitas culturais e que as tardes seriam dedicadas ao lazer, quer isto dizer, idas às praias e baías usufruir o muito Sol que esta ilha potencia e as lindíssimas águas azuis desta ilha do Mediterrâneo. As nossas deslocações seriam em transportes públicos quer fossem transportes urbanos, suburbanos ou através da rede de Expressos nos casos de ligações entre as principais cidades.

Saí de Lisboa, via Amesterdão e Pafos, para Larnaka cujo aeroporto internacional dista cerca de 10km ao centro histórico da cidade, à chegada tomo o táxi que me levará diretamente ao hotel devido à hora tardia a Larnaka.

No primeiro dia, após o pequeno-almoço iniciei a minha visita por esta antiga cidade começando  nas suas ruínas da antiga cidade – estado de Kition que evocam os seus dias de glória, aproximadamente, a 500 metros visito o Museu Arqueológico do Distrito, com ruinas arqueológicas que remontam ao séc. XIII a.c., por volta do ano 1200 a.c., foi reconstruída pelos Gregos Micénicos, e, finalmente, por um passeio descontraído pelo Passeio das Palmeiras, local aprazível com muita música, esplanadas com uma bela e magnífica praia, escolhido para primeiro almoço, à tarde o programa estava com destino certo...sol, praia e mar.

Arcebispo Makários  III
No dia seguinte, comecei a visita ao Forte e Museu Medieval, construído em 1625, tendo sido prisão nos primeiros anos do período britânico, à Igreja Agios Lazaros, São Lázaro, santo patrono desta cidade, sendo Kition a sua segunda terra natal depois de ter sido ressuscitado por Cristo e aqui viveu mais 30 anos, no séc. IX o imperador Leão VI erigiu esta igreja sobre o seu túmulo, por baixo do santuário. Igreja de arquitetura bizantina, restaurada no séc. XVII seu iconóstases é em talha barroca. Seguidamente, passei pelo Aqueduto de Kamares do século XVIII tendo sido utilizado até 1930. Nos arredores, o Lago de Sal, procurado por aves migratórias no Inverno, encontrando-se numa das suas margens o importante centro de peregrinação muçulmana Hala Sultan Tekesi, a 3km de Lanarka, construído em 1816 sobre o túmulo de Umm Haram, considerado parente do profeta Maomé que faleceu neste local em 649 durante a primeira invasão árabe. Esta mesquita é um importante centro de peregrinação dos muçulmanos imediatamente depois dos templos de Meca, Medina e Al Aqsha de Jerusalém.
Concluída a visita à cidade de Lanarka e seus arredores com a famosa baía e resorts, ao terceiro dia, pela manhã cedo, tomei o autocarro que me levaria capital Nicósia, encontra-se aproximadamente no centro da ilha. Começou por ser a capital da ilha no século XI d.c.. Os Francos converteram-na numa magnífica cidade com um Palácio Real e mais de cinquenta igrejas. Hoje, é uma mistura de civilizações com um verdadeiro passado histórico com uma animação duma cidade moderna. O centro histórico está cercado pelas Muralhas Venezianas do século XVI, inclui um vários Museus, Antigas Igrejas e edifícios Medievais que conservam a atmosfera do passado. Este antigo centro urbano está neste momento dividido em dois pela força. A nova Nicósia desenvolveu-se fora da cidade. Nos arredores, existem igrejas e mosteiros bizantinos bastante interessantes e assentamentos arqueológicos. Como locais de interesse destaco: o Museu de Chipre, a Kasteliotissa (Medieval Hall) enfrente da Porta de Pafos com elementos góticos fez parte do Palácio de Lusignan entre os séculos XIII-XIV, o Museu Bizantino e Galerias de Arte na fundação do Arcebispo Makários III, a Igreja Chrysaliniotissa considerada a mais antiga de Nicósia crê-se que a sua construção data de 1450 pela Rainha Helena Palaeologos, as Muralhas Venezianas que circundam a cidade antiga têm uma circunferência de 4,5 km e possuem onze Torres. Existiam somente três portas para entrar na cidade: a Norte, Sul e Este. Uma de estas portas, a Porta Juliana conhecida pela Porta de Famagusta, foi restaurada e agora é o Centro Cultural Municipal de Nicósia.
A ligação entre estas duas cidades é feita em transporte coletivo com capacidade de oferta de lugares disponíveis (19) e horários reduzidos, excepto às zonas turísticas nas quais estão instaladas as cadeias de hotéis.
  
Ao quarto dia, pela manhã muito cedo, agora em rede Expressos, fui para Pafos cidade incluída na lista oficial da UnescoPatrimónio Cultural da Humanidade. Ao pisar qualquer lugar desta cidade, pisava história que remonta a milénios de anos atrás aquando do culto à deusa Aphrodite, “O Rochedo dos GregosPetra Toy Romiou segundo a lenda emergiu nas águas perto deste lugar.
Pafos atualmente é um pequeno porto mas durante os tempos helénico e romano foi capital de Chipre. As suas encantadoras vilas inseridas numa paisagem luxuriante, e a sua costa marítima criam uma harmonia digna de se apreciar.

Como locais de interesse destaco: o Forte Medieval de Pafos, a Igreja Agia Solomoni, o Anfiteatro Helénico, a Igreja de Panagia Chrysopolitissa, a Basílica Paleocristã erigida no século XIII, os Banhos Turcos, a Estação Arqueológica de Kato Pafos com os seus famosos mosaicos: Casa de Teseus, Casa de Aion, Casa de Orfeus e Casa de Dionísios e a Estação Arqueológica dos Túmulos dos Reis
  
Anfiteatro Helénico
Estação Arqueológica Kato Pafos - Casa de Teseus 
Casa de Dionísio - Mosaicos
Casa de Dionísio - Mosaico
Estação Arqueológica Túmulo dos Reis
Estação Arqueológica Túmulo dos Reis
Nos arredores, destaco as deslocações a Maas (estação arqueológica museu), e Coral Bay local muito procurado turisticamente, com suas ruas repletas de lojas, restaurantes e animação nocturna, a sua fenomenal baía e fabulosa praia e finalmente assistir ao seu pôr-do-sol.

Coral Bay

Na manhã seguinte, no Expresso com destino a Nicósia, fui para Limassol, segunda maior cidade de Chipre com seu importante porto comercial e  de passageiros estratégico do País estendendo-se ao largo da costa sul, sendo o centro mais importante da indústria, do vinho e do turismo da ilha. Começámos a visita desta cidade por um Passeio na Marginal pela sua magnífica baía, passagem pelo Forte Medieval onde está instalado o Museu Medieval, e finalmente, à antiga cidade-estado Amathous, podendo aí ainda, visitar a Acrópole e o lugar de Ágora vestígios arqueológicos da ocupação romana e paleocristã.

O Castelo de Kolossi, o Santuário de Apollon e o Kourion com regresso ao fim da tarde.  Relativamente ao transporte suburbano utilizado ao Kourion é necessário fazer a mesma ressalva daquela que fiz anteriormente aquando da visita a Nicósia e pelos mesmos motivos.

Castelo de Limassol e Museu


Kourion
Kourion - Fornalhas
Para os últimos dias nesta maravilhosa ilha guardei a deslocação à Península de Akamas e a Polis, praticamente em contato com a natureza. Com a sua famosa gruta e pequena piscina natural, onde de novo a lenda nos conta que era o sítio onde a deusa Aphrodite tomava o seu banho, atualmente conhecido por “Banhos da deusa Aphrodite”.



"Banhos da deusa Afrodite" - Guta e Piscina Natural 
Novamente, fica a chamada de atenção de que o autocarro que faz a ligação entre as duas cidades é pequeno, com poucos lugares disponíveis, horários reduzidos e o que faz depois a ligação ao local dos banhos de Aphrodite é feito numa carrinha de 9 lugares.
   

Informações úteis:

Moeda: Euro. 
Línguas: Grega e Inglês.
Aeroportos Internacionais: Lanarka e Pafos.
Circulação: pela esquerda.
Alojamentos: Roman Boutique Hotel (Pafos),Livadhiotis(Lanarka)
Gastronomia: a não perder, a grega.
Postos Turismo: recolher sempre informações necessárias às visitas, horários de transportes públicos e locais a visitar.









Sem comentários:

Enviar um comentário