sábado, 25 de janeiro de 2014

CHIPRE - A ILHA D´AFRODITE

A ilha de Chipre no Mediterrâneo é conhecida por diversos motivos, primeiro de tudo, é um lugar extremamente popular para passar umas excelentes férias, e igualmente reputada devido ao seu magnífico clima ameno e ensolarado, pelos seus habitantes bastante hospitaleiros, pela segurança e pela sua gastronomia.

No entanto, algumas pessoas podem não saber que a ilha de Chipre está dividida a seguir à invasão turca em 1974, ocupando 36,2% do seu território soberano a norte da ilha, que exigiu a presença das Nações Unidas durante 25 anos. Ainda que a sua parte esteja sob ocupação estrangeira, a República de Chipre é intencionalmente reconhecida como o único Estado legítimo na ilha, sendo soberana sobre todo o território. Qualquer um de nós que visita a região livre de Chipre não se dará conta da situação, salvo se se aproximar da Linha Verde em Nicósia, capital de Chipre, ou se falar com os cipriotas que perderam seus parentes ou amigos durante a invasão de 1974.

O Sul da ilha de Afrodite possui uma rica herança cultural que se reflecte visitando as cidades e vilas, os sítios e monumentos arqueológicos, castelos e fortificações dispersos um pouco por toda o lado, lindíssimas baías com magníficas praias na mistura. Explorar a ilha da deusa Afrodite, como descreveu Eurípides há quase dois mil e quinhentos anos atrás, mesmo que entretanto muitas coisas mudaram desde então, o carácter mágico de Chipre prevalecerá para sempre nas nossas memórias fazendo desta uma estadia enriquecedora.

Existem dois aeroportos internacionais em Chipre, o de Lanarka e o de Pafos. Muitos turistas acham mais conveniente ou mais rentável voar do seu aeroporto local para o aeroporto de Larnaka, ao invés de Pafos, mesmo quando a sua estadia é em Pafos.
Reconhecendo esta realidade, as empresas de autocarros regionais lançaram um serviço diário entre estes dois aeroportos, Pafos a Limassol e Larnaca a Limassol, em duas etapas a 7,00 €/viagem cada, e dois serviços adicionais low-cost; o primeiro, entre Pafos-Limassol-Nicósia, excepto aos domingos, para mais informações e consulta de horários pelos telefones (+357) 26942069 ou 26931755, o segundo, do centro de camionagem Caravella em Pafos Centro (Kitma) para Polis, no litoral norte do distrito de Pafos ao pitoresco porto de Latchi e aos banhos da Afrodite, o serviço é diário, excepto aos domingos, enquanto, o serviço para Latchi é de segunda-feira a sexta-feira, para mais informações e consulta dos horários das carreiras será através dos telefones (+357) 26321114/5.

Para aqueles que escolhem ficar no lado leste da ilha frequentemente voam para o aeroporto de Pafos, ao invés de Larnaca, e para estes há uma carreira diária sempre ajustada aos voos de partida e chegada dos aviões podendo ser sempre alterada, seguindo a principal estrada costeira entre Coral Bay, Túmulos dos Reis, Kato Pafos e porto na faixa do hotel de Geroskipou terminando no aeroporto de Pafos, num trajecto de 60 minutos, por 3,00 €.

Para visitar a ilha de Chipre não aconselho os transportes públicos muito devido aos horários muito reduzidos e não compatíveis para regresso na maioria dos casos o regresso só pode ser feito no dia seguinte, por isso, nada melhor do que alugar um carro e neste caso existem numerosas “rent-car” à disposição, incluindo scooters e bicicletas, os preços de aluguer podem começar pelos 20,00 €/dia com seguro para viaturas de classe económica, obviamente, variando conforme a época do ano, o período de aluguer e a classe do veículo. Desta forma permite-nos explorar muitos outros locais não acessíveis por transporte público. Nunca levar a viatura alugada para a área controlada do Norte de Chipre pela Turquia pois as seguradoras não cobrem os riscos. A condução automóvel em Chipre é pela esquerda como no Reino Unido, por esta razão será mais fácil para os britânicos. O serviço urbano de táxis é permanente em todas as cidades, sendo obrigatório poe lei o uso do taxímetro: até às 8:30 pm a tarifa é um pouco mais de 3,00 € mais 0,60 €/km, depois das 8:30 pm a tarifa é um pouco mais de 4,00 € mais 0,72 €/km, acrescido de 1,00 € por cada mala de viagem.


Pafos

Todo o conjunto da cidade de Pafos está incluído na lista oficial da UNESCO como Património Cultural da Humanidade.

Em Pafos cada um de nós faz parte da sua gloriosa história que remonta a milhares de anos atrás quando Afrodite, deusa do Amor e da Beleza, é suposto ter emergido do mar, tornando o local, a cerca de 25km de Pafos, seu principal Santuário na Antiguidade. Hoje Pafos é um pequeno porto mas durante os períodos Helénico e Romano foi a capital de Chipre, desde séc.IV a.C. até ao séc.IV d.C., dos Ptolomeus e dos Romanos, e local da passagem de S. Paulo em 45 d.C..

Ao contrário de outras cidades cipriotas, Pafos teve duas áreas geográficas distintas que se desenvolveram nos diferentes períodos históricos. Nea Pafos e Pafos Town Centre (Ktima), respectivamente, Kato/Pafos de Baixo e Pano/Pafos de Cima. O nome Ktima está associado à época Medieval, sugerindo um domínio real ou uma terra pertencendo a um Cavaleiro.

Por parte dos cipriotas nota-se que fazem um enorme esforço em atrair os turistas à cidade de Pafos Town Centre (Ktima), indevidamente considerada como se apenas se tratasse de uma área comercial ou ao cotidiano da população, contudo, para os cipriotas tem muito mais do que isso. O passeio a pé por Pafos Town Centre (Ktima) dá a quem o visita uma imagem geral de como a cidade evoluiu e se desenvolveu a partir de tempos tardios Bizantinos e Medievais, com referência históricas ligadas a outros importantes períodos Otomano, Britânico e Contemporâneo, por um lado, entrar no passado mas também conhecer melhor o centro comercial de Pafos.

Pafos Town Centre (Ktima) – alguns locais a não perder
Edifício dos Banhos Turcos
Mercado Municipal e “Laiki Gonia” (quarteirão pedonal)
Moutallos
Mesquita “Agia Sofia”
“Palaea Elektriki” Cultural Centre
Câmara Municipal
Fonte “Sleeping Eros”
Museu Bizantino
Parque Elias e Avgousta Malioti
Avenida Arcebispo Makarios



Kato Pafos (porto maritimo e marina)
Forte Medieval de Pafos (séc. XIII)
Igreja “Agia Solomoni” e catacumbas cristãs de “Agia Solomoni”
Ódeon de Pafos (séc. II), a seu lado as ruínas da antiga cidade, Templo de Asklepios, deus da 
Medicina e Agora romana (fórum)



“Limeniotissa” ruínas duma Basílica do início da era cristã (séc. V)
Basílica Paleocristã (séc. XIII) – Coluna de S. Paulo – Chrysopolitissa (Agia Kyriaki)


“Loutra” – os Banhos Turcos
A fortaleza Santa Kolones
O Sítio Arqueológico de Kato Pafos 
O Sítio Arqueológico dos Túmulos dos Reis

Tour 1 – ao Santuário de Afrodite
Santuário de Afrodite (a 14km de Pafos na estrada Pafos/Lemesos)
Petra Toy Romiou, segundo a lenda o lugar onde emergiu do mar a deusa Afrodite, o “Rochedo dos Gregos” associado ao legendário guarda fronteiriço dos tempos bizantinos Digenis Akritas, que deteve as invasões sarracenas da baía mandando um enorme rochedo ao mar destruindo a frota inimiga (a 25km de Pafos na estrada Pafos/Lemesos)

Tour 2 – Coral Bay e Aldeia de Pegeia
Sítio Arqueológico de Maa, primeiros assentamentos gregos (Micénicos) e Museu (a 9km de Pafos)
Coral Bay, zona muito procurada turisticamente, ruas repletas de lojas, restaurantes e animação nocturna, fabulosa praia e baía e possibilidade única de presenciar o magnífico pôr-do-sol.
Sítio Arqueológico St. George´s em Agios Georgios, estão as ruínas de duas basílicas paleocristãs e túmulos de pedra do período romano

Kato Pafos está ligada a Coral Bay por uma rede eficiente de transportes públicos, cómodos e espaçosos, com horários alargados diurnos e nocturnos.

Tour 3 – Península de Akamas, Polis e Latchi

A cidade de Polis dista 48 km de Pafos, situando-se precisamente no local onde em tempos se encontrava a cidade-estado de Marion, um importante centro comercial na época Clássica e Helénica, posteriormente, no período greco-romano foi rebaptizada por Arsione.

Para quem opte pelo transporte público deverá tomar em atenção que o autocarro que liga as duas cidades não tem muitos lugares disponíveis e horários reduzidos, o mesmo sucede ao transporte de ligação ao local dos “banhos de Aphrodite” é numa carrinha de 9 lugares.

Akamas – locais a não perder
Chrysochou Bay
“Os Banhos D´Afrodite” – Akamas, pequena piscina natural numa gruta, e segundo a lenda era o local onde a deusa tomava banho
Museu Arqueológico de Polis – Marion/Arsione
Latchi, porto marítimo e marina


Lemesos (Limassol)

Lemesos (Limassol), é a segunda maior cidade da ilha estendendo-se entre os sítios arqueológicos de duas antigas cidades-estado: Amathous, a este, e Kourion, a oeste. A cidade desenvolveu-se a partir de 1191, depois da destruição de Amathous por Ricardo Coração de Leão. Os numerosos monumentos bizantinos e francos são testemunhos da sua longa história. Hoje, Limassol é o principal porto comercial da ilha, o centro da indústria vinícola e pólo turístico por excelência. A cidade tem reputação pelas festas de Carnaval, pelo festival anual vinícola e hospitalidade dos seus habitantes. Nas montanhas próximas podemos visitar as magníficas aldeias vinícolas, a estação de montanha de Platres e a região de Pitsilia, no flanco oriental de Troods.

Limassol – alguns locais a não perder
Castelo de Lemesos e Museu (séc. XIII)
Mesquita Kebir (a grande mesquita) (séc. XVI)
Museu Arqueológico Regional de Lemesos
O Parque das Esculturas (marginal)

Tour 1 – Kourion
Sítio Arqueológico Kourion (a 19km a oeste de Lemesos)
Kourion Stadium
Santuário de Apollon Ylatis (Altar) (a 3km a oeste do Kourion)
Castelo Medieval de Kolossi (séc. XIII) - (a 14km a oeste de Lemesos na estrada Pafos/Lemesos)

Tour 2
Sítio Arqueológico de Amathous (a 11km a este de Lemesos)


Lanarka

Larnaka, uma cidade de fácil acesso, mantém fortes laços com o passado podendo- se orgulhar da sua contribuição para o rico património cultural da ilha. No coração da moderna Lanarka encontram-se as ruínas da antiga cidade-estado de Kition que viu nascer o filósofo Zenon, fundador grego da escola estóica, e foi aqui a segunda residência de S. Lázaro, patrono da cidade, depois da sua ressurreição por Jesus. 

O aeroporto internacional de Lanarka está a 6 km do centro da cidade, tem serviço diário de autocarros “inter city”, excepto aos domingos, a Nicósia, capital de Chipre, por 5,00€/viagem, a Limassol, Ayia Napa e Protaras, por 7,00€/viagem, mas para mais informações e consulta dos horários muito reduzidos deve-se consultar o site www.intercitybusescy.com, e um “shuttle” entre Lanarka, Limassol e Pafos, em duas etapas a 7,00 €/viagem cada, para além dos que fazem a ligação a Lanarka.

Lanarka – alguns locais a não perder
Sítio Arqueológico de Kition (séc. XIII a.C.)
Museu Regional de Arqueologia de Lanarka
Museu de Arqueologia da Fundação de Pierides
O busto de mármore de Kimon e Zenon (passeio marítimo)
Forte de Lanarka (séc. XVII)
Igreja Agios Lazaros
Aqueduto Kamares (séc. XVIII)
Mesquita Tusla (traseiras das ruínas)
Mesquita Buyuk (Kebir) – frente ao forte
Passeio das Palmeiras

Tour 1 
Choirokoitia assentamento neolítico, inscrito como Património Cultural da UNESCO (a 32 km de Lanarka na estrada para Lemesos)
Lago Salgado de Lanarka
Mesquita Hala Sultan Tekkesi (a 5km de Lanarka), construída em 1816 sobre o túmulo de Umm Haram, considerado parente do profeta Maomé, faleceu neste local em 649 d.C. durante a primeira invasão árabe. Esta mesquita é um importante centro de peregrinação dos muçulmanos imediatamente depois dos templos de MecaMedina Al Aqsha em Jerusalém


Lefkosia (Nicósia)

É capital da ilha desde o fim do período bizantino, no séc. XI, mas são os Francos que lhe darão o esplendor na construção de um Palácio Real e numa meia centena de igrejas.

Nicósia de hoje é o reencontro de um passado e a animação duma cidade moderna, com o centro cidade, a velha Chora, cercada por muralhas venezianas que datam do séc. XVI, incluindo antigas igrejas, edifícios medievais, museus, enquanto para além das muralhas, desenvolveu-se a moderna cidade dos negócios. Por incrível que nos possa parecer é a única capital do mundo que se encontra dividida.

As cidades de Lefkosia e Lanarka distam entre si 44 km, são servidas por meio de um transporte colectivo com lotação muito reduzida de lugares e de horários disponíveis, somente 19 lugares, que permitam uma visita mais cuidada daí precaver-nos desta eventualidade consultando previamente os horários ou em alternativa termos outros meios de transporte (táxi ou rent-car).

Nicosia – alguns locais a não perder
Museu de Chipre
Museu Etnográfico de Chipre
Porta de Famagusta (Centro Municipal de Lefkosia)
Igreja Chrysaliniotissa
Mesquita Omeriy (ex- Igreja Agostinhos do séc. XIV)
Mesquita Bayraktar
Banhos Omeriye (séc. XVI)
Laiki Geitonia (quarteirão pedonal – posto turismo)
Shakolas Tower (Vista panorâmica no 11º andar) – Rua Ledra
Muralhas Venezianas
Igreja Faneromeni
Igreja Stavros tou Missirikou (perto da anterior)
Igreja Trypiotis (séc. XVII)

Tour 1Rota Bizantina - são dez as célebres igrejas bizantinas situadas na região montanhosa de Troodos, declaradas pela UNESCO como Património Cultural da Humanidade, dispersas nas regiões de Marathasa, Solea e Pitsilia.

Tour 2 - Rota Cultural de Afrodite – a rota engloba os sítios arqueológicos ao culto antigo da deusa d` Afrodite a: Palaiafos (Kouklia), Amathous e Kition.



Estação Arqueológica Kato Pafos - Casa de Teseus 
Casa de Dionísio - Mosaicos
Casa de Dionísio - Mosaico
Estação Arqueológica Túmulo dos Reis
Estação Arqueológica Túmulo dos Reis

Coral Bay

Castelo de Limassol e Museu

Kourion
Kourion - Fornalhas



"Banhos da deusa Afrodite" - Gruta e Piscina Natural 








Sem comentários:

Enviar um comentário